Pista de provas e todos os testes que um carro tem que resistir

A Ford produziu uma animação que mostra resumidamente, em 90 segundos, os 30 testes extremos de durabilidade enfrentados por um veículo no processo de desenvolvimento. Eu pude recentemente conhecer e até dar uma volta nas pistas e campos de provas da Ford em Tatuí-SP e vi boa parte do que o vídeo mostra.

De 40°C negativos no gelo até temperaturas acima de 50ºC no deserto, passando por rios de lama, áreas alagadas e as pistas mais esburacadas do planeta, um carro para ser aprovado e partir para as ruas passa por desafios no uso real. Além dos testes em ambientes controlados, a animação reproduz a rodagem feita em lugares exóticos, como o deserto australiano do Outback ou as montanhas geladas do norte da China.

Os testes são tão loucos que tem até o número de vezes que as portas devem ser fechadas sem apresentar sinais de fadiga, de forma contínua e extenuante. Outra particularidade é exemplificar os carros a serem dirigidos em estradas de cascalho para verificar a resistência da pintura à batida de pedras. A proteção contra ferrugem é medida em uma câmara de corrosão que pulveriza água salgada em condições de até 95% de umidade, simulando dez anos de uso e desgaste.

Uma loucura!liliane ferrari

Bookmark and Share

Mulheres Digitais

liliane ferrari

O círculo de palestras “Mulheres Digitais” vai acontecer durante o outubro rosa com a intenção de trazer aos participantes cases de sucesso realizados por mulheres para o mercado digital. Eu vou palestrar e contarei como era a vida a.F e as estratégias digitais.

“Não vamos debater ideologias ou qualquer outra linha estereotipada de pensamento. Este evento foi idealizado para discutir ideias criativas no mercado de trabalho digital, realizada por mulheres. Estratégias femininas, criadas por mulheres para um mercado em ascensão”, comenta Ricardo Maruo, um dos idealizadores do evento. www.eventomulheresdigitais.com.br

Onde: Auditório da Faculdade Cásper Líbero
Data: 10 de outubro/2015
Endereço: Avenida Paulista, 900 – 1º andar
Horário: Das 8h10 às 17h30
Ingressos: De R$160 a R$250

Bookmark and Share

Big Mac feito em casa

molho especial

Agora tá fácil fazer Big Mac em casa! É só pegar dois hambúrgueres, um pouco de alface americana picada, queijo cheddar, cebola picada, fatias de picles/ pepino relish, pão com gergelim e comprar o principal, aquele ingrediente que dá gosto de McDonald’s, o molho especial  no site Meu Molho Especial www.meumolhoespecial.com.br

Serão só 100 unidades vendidas até dia 27 de agosto com preços divididos por lotes. A cada nova venda, um novo preço.

Se você quiser comprar e não conseguir no primeiro lote, pode se inscrever para receber informações quando os próximos estiverem disponíveis.

Todo valor arrecadado vai para o Instituto Ronald McDonald, assim como as vendas do Big Mac (exceto alguns impostos) no #McDiaFeliz no próximo sábado dia 29. Esse ano serão ajudados 72 projetos, de 58 instituições diferentes que atuam no combate ao câncer infantil e juvenil.

Bookmark and Share

Quando menos é mais?

Esse seminário foi incrível. Vale a pena ver agora na TV se perdeu ao vivo no Museu da Língua Portuguesa em junho. O tema do debate foi o consumo consciente e práticas sustentáveis. Anote! Dia 17/8, segunda na GloboNews às 21h30 e mais um monte de reprises ao longo da semana. Assista “Quando menos é mais” com Andre Trigueiro, Ricardo Abramovay, Rodrigo Bandeira e Lisa Gunn.

unnamed

Bookmark and Share

Big Mac by chef #EsquentaMcDia

Tem convite que a gente não pode recusar jamais. Tem que se virar, arranjar um tempo e fazer o que precisa ser feito. O McDonald’s me convidou para ser uma embaixadora do McDia Feliz 2015 o que significa na prática participar e apoiar a divulgação do evento e das ações paralelas junto aos meus leitores e seguidores nas redes sociais. Por isso eu conto como sempre com todos vocês!! <3

McDia Feliz é um evento coordenado pelo Instituto Ronald McDonald, e é a maior campanha em prol de crianças e adolescentes com câncer e conta com a mobilização voluntária de cidadãos, artistas e personalidades. Nesse dia, o valor de todos os sanduíches Big Mac vendidos no país é revertido para a causa.

O McDia Feliz será em 29 de agosto este ano. Já guarde na agenda esse dia. Malhe muito antes ou depois!!! E invista o valor de um Big Mac em prol da cura do câncer infantil e juvenil.

Mas não é só um dia que será feliz agora em agosto. Um outro evento bem legal promove o #EsquentaMcDia, é o Big Mac by chef. Eu fui com a Luisa neste sábado até a House of Food onde um mini McDonalds foi instalado no sobradinho moderno do buffet. Tinham mesinhas na rua, cachorrinhos passeando e bolhinhas de sabão saindo da janela.

mcdia

Neste sábado o Chef Bruno Alves fez uma releitura bem oriental do Big Mac e todo o valor arrecadado com a venda dos sanduíches foi revertido também. No pão desse Big Mac diferente vão 2 hambúrgueres de 100 g *(eram imensoooos), molho cheddar, cheddar em fatia, molho especial, pedações crocantes de bacon, picles  empanados na farinha de pão de Big Mac e fritos, cebola no shoyu. Para acompanhar McFritas temperada com páprica e curry picante. APROVADO!!! Luisa adorou muito as batatas com páprica e curry <3 essa é minha filha!

11863284_10153568589187700_8406616001434856893_n

Se você perdeu o Big Mac do chef Bruno Alves, saiba que neste sábado a partir das 11h tem de novo e quem faz o Big Mac agora é o chef Carlos Bertolazzi. No Big Mac dele terá: 2 hambúrgueres de 80 g (cada), cheddar em fatia, molho especial, tomate verde em calda de vinagre, lâminas de cebola roxa empanadas e fritas. Para acompanhar McFritas com alho e alecrim. #euvoudenovo

Separa 25 contos de reais e apoie essa ação, além de claro, provar um lanche caprichado numa vibe deliciosa de sábado em Pinheiros. Vamos?!

mcdia

Bookmark and Share

Os melhores looks do dia em vídeo no Youtube

#ootd #lookoftheday #lookdodia #dujour não importa como se chame, tenho pesquisado muito sobre eles, sobre quem os faz e como fazem.
Mas não só isso, mas o que os torna mais “assistíveis” e “compartilháveis”.

E olha, eu acho que a era do #lookdodia em fotos parece estar ter ficado para trás para quem anda na frente.

No Youtube os vídeos podem ser instantaneamente monetizados e a cada clique para espiar uma roupinha já cai uma moedinha no cofre do fashion vlogger, blogger, whatever er. Fora que no Youtube o vídeo pode ser compartilhado assim em blogs WordPress como este aqui, com player e atrais mais assinantes e views para o canal.

Fiz uma seleção dos melhores looks feitos em vídeo postados no Youtube. Tem gente do mundo todo. Tem de todo jeito. Pra todo gosto. Tem formatos diversos. Estilos únicos.

Mas, o que é “melhor look em vídeo” pra você Lili?
Que tenha senso de vida real, uma boa trilha, sem enrolação de 10 minutos, prefiro os mais curtos, bem editados com timing, look interessante, GC, legendas bem feitas, originalidade, bom cenário e algo difícil de dizer, empatia pelo “personagem”.

Os vídeos sem narração são os mais globalizados, porque quem vê não precisa entender nada da língua para acompanhar. Mas tem vídeos com off da pessoa dando muita informação sobre o estilo, marcas e peças, bem válido quando realmente tem o que dizer.

Tem quem marca dia e hora para postar no canal do Youtube, criando uma espécie de programa semanal, tem quem reúna os looks do mês, da semana, tem de uma peça mil jeitos de usar, e posta quando dá!

Conhece outros? Indica pra mim aqui nos comentários, obrigada!

Divirta-se

Bookmark and Share

SOS Nepal

nepal
O mundo inteiro estava se mobilizando para arrecadar recursos para ajudar os sobreviventes do terremoto anterior no Nepal, mas agora a situação (que já estava terrível) se agravou. As pessoas lá estão em pânico, as crianças estão traumatizadas e precisamos ajudá-los. Além disso, é época de chuva no Nepal e a população está desabrigada, dormindo nas ruas…uma tristeza sem precedentes. Isso tudo ainda pode gerar mais uma crise humanitária, porque as doenças podem se espalhar com muita facilidade e tudo piorar. Porque sempre pode ficar pior…. :(
X
Num país onde a corrupção caminha a passos largos, muitas pessoas dizem que se sentem desconfiadas para doar algo e esse dinheiro não chegar a quem precisa. A Plan é uma organização não-governamental, de origem inglesa, ativa há 76 anos e presente em 70 países (inclusive no Nepal, desde 1974). Eu sempre falo das ações da Plan aqui no blog e me engajo em diversas campanhas por acreditar na idoneidade e princípios deles. A Plan não tem qualquer vinculação política ou religiosa e está voltada para a defesa dos direitos da infância, conforme expressos na Convenção dos Direitos da Criança, da ONU.
 X
A ONG Plan International está em campo, em todas as regiões atingidas (inclusive nas mais distantes e de difícil acesso) distribuindo lonas, cobertores, alimento, água e outros materiais de primeira necessidade (no YouTube da Plan você pode ver alguns vídeos dessa distribuição, como este: 

Além disso, a Plan está construindo espaços temporários para as crianças ficarem em segurança, poderem brincar e ainda receberem apoio psicológico. 
x
Clique aqui para doar: http://bit.ly/AjudeONepal
X

Qualquer valor pode ser doado, abaixo alguns exemplos do que pode se fazer com a sua ajuda.

R$ 25 pode fornecer cobertores a 1 família, incluindo 3 crianças.

R$ 50 pode fornecer 3 kits sanitários a uma família, incluindo 3 crianças.

R$ 100 pode fornecer um kit de abrigo temporário para uma família, incluindo 3 crianças.

R$ 2,000 pode fornecer kits sanitários a 125 famílias, incluindo 375 crianças. 

R$ 4,000 pode fornecer kits de abrigo temporário para 40 famílias, incluindo 120 crianças. 

R$ 4,000 pode fornecer água para 250 famílias, incluindo 750 crianças. 

R$ 20,000 pode fornecer kits alimentares, água e abrigo para 35 famílias, incluindo 100 crianças. 

R$ 40,000 pode fornecer kits alimentares, água e abrigo para 70 famílias, incluindo 200 crianças.

R$ 60,000 pode fornecer abrigo temporário para 118 famílias vulneráveis, incluindo 350 crianças.

R$ 100,000 pode fornecer abrigo temporário para 197 famílias vulneráveis, incluindo cerca de 500 crianças.

 #PlanResponds
Se você é blogueiro pode ajudar instalando o selinho no seu site com este código: 
<a rel=”nofollow” href=”http://bit.ly/AjudeONepal” title=”Doe Agora”><img alt=”Ajude o Nepal” width=”250″ height=”250″ src=”http://2.bp.blogspot.com/-YFJQuR6VoDE/VVI-THzJs6I/AAAAAAAADHA/9rRQw2ZoceM/s1600/selo2.jpg” /></a>

 

Bookmark and Share

Adote uma peruca

adote-uma-peruca-interna

 

Essa é uma causa que milito aqui no blog há muito anos, inclusive um dos meus posts mais acessados é o do Banco de Perucas. E eu não vou pedir para você cortar seu cabelo lindo como fiz aquela vez para doar cabelos para enviar ao Hospital Mario Filho de Belo Horizonte.

liliane ferrari

Amiga, dessa vez ajudar é mais simples do que você pensa!   Agora não tem desculpa para não entrar nessa causa. DETRICH salão da minha best friend <3 Juliana promove uma ação muito especial durante este mês.

O salão receberá doações em dinheiro em nome da ONG Cabelegria que faz perucas infantis para crianças em tratamento de câncer. R$100 é o custo de produção de uma peruca e quem contribuir ganha uma escova, que pode ser agendada no momento da doação ou por telefone em maio. A doadora também ganhará uma camiseta da campanha “Eu adotei uma peruca”.

E aí, já aderiu né?

Bookmark and Share

Os Anos 50 e a Construção da Geometria

judith lauand

Abre no dia 14 de maio, quinta-feira às 19h no IAC, exposição que ocupará também o Museu Belas Artes de São Paulo com mais de uma centena de obras da produzidas entre 1950 e 1959, período fundamental na construção da carreira e da vida da artist Judith Lauand, com a curadoria de Celso Fioravante. Em cartaz até 25 de julho.

Bookmark and Share

Au.Dote

 

audog

Recebi o release mais fofo do mundo hoje, olha que notícia boa:

“Escolher um cachorro para adotar não é uma tarefa fácil. É preciso entender bem seu espaço, disponibilidade de tempo e ainda encontrar um amigão que combine com você. Para ajudar nessa missão a DogLikers lançou o Au.Dote, um aplicativo móvel em que você pode conhecer melhor a personalidade de vários cachorros de uma forma divertida e inovadora. A ideia é simples: o aplicativo é alimentado por ONG’s parceiras que cadastram os seus animais disponíveis para adoção. Ao acessar, você pode determinar sua localização, para filtrar os animais que estão mais próximos de você, sexo, raça, idade e o perfil de animal que te interessa. Depois disso você terá acesso aos animais que se encaixam no seu interesse. Ao clicar na foto de um cachorro, você pode obter mais informações sobre ele e salvar como seus favoritos. Ao fazer isso, a ONG responsável por ele recebe um e-mail com seus dados e fará os contatos para que você possa conhecer pessoalmente e conduzir o processo de adoção de acordo com os critérios de cada ONG.  Além disso, todas as ONGs cadastradas são selecionadas  passam por uma criteriosa avaliação para assegurar que somente projetos idôneos e verdadeiramente responsáveis com a causa animal façam parte. Os representantes de ONGs podem se cadastrar no www.audote.com.br. “

insta-Audote01

Então, se você está pensando em adotar seu primeiro cachorro, ou é cachorreiro de carteirinha e quer deixar-se apaixonar por opor um fucinho baixa logo o app!!!

O Au.Dote está disponível para download gratuitamente tanto na AppStore  e Google Play.

p.s.: Louca e ansiosa pela versão felina!

Bookmark and Share

Corre pro Promenade

promenade

 

É hoje de tarde (das 16h-20h) no shopping Cidade Jardim: Promenade Chandon e desconto de 40% na linha Mizuno na World Tennis. #euvou #toindo

 

Bookmark and Share

Noor Tagouri

Noor Tagouri

Noor, significa “luz” em árabe. Por isso Noor Tagouri diz: “Meu próprio nome me inspira a ser uma luz orientadora.” Essa moça de 21 anos é  uma jornalista líbio-americana, muçulmana, que usa com orgulho seu hijab e será a primeira âncora hijabi na TV norte-americana. Em 2012 ela lançou sua campanha #LetNoorShine nas redes sociais para inspirar a si mesma e os outros a seguirem seus sonhos, o dela era o de se tornar um jornalista hijabi nos EUA. Este sonho já é quase realidade na CTV News canal em que ela é repórter. Achei muito linda essa campanha (não conhecia ainda) em que ela não se vitimiza nem culpa o estereótipo da religião para alcançar seus objetivos.

 

Bookmark and Share

Dubsmash

Gente, tô completamente viciada nesse aplicativo. Me sentindo como se trabalhasse na Herbert Richers dublando os filmes da sessão da tarde. Já fiz uma dublagem da Dilma, da Maria Vanúbia da novela Salve Jorge, e da Leila Lopes, eterna “Berenice, nós vamos bater”.  Todo mundo pode ser o Pablo do Qual é a Música na internet. Baixa aí.

 

dubsmash_header

Bookmark and Share

Setenta

No dia 7 de dezembro de 1970, grupos de combate à ditadura capturaram o embaixador suíço no Brasil e assim começava o mais longo sequestro político da história do país. Giovanni Enrico Bucher ficou quarenta dias no cativeiro. Os sequestradores queriam a liberdade de setenta presos políticos. Conseguiram. Os setenta saíram da prisão e foram expulsos do Brasil por decreto presidencial. No dia 14 de janeiro de 1971, foram embarcados num avião para o Chile. Dois dias depois, o embaixador foi libertado.

O filme SETENTA reencontra 18 personagens desta história, mais de quarenta anos depois.
Quem são eles? O que pensam? Como conduzem as suas vidas? O que mudou? O que ficou dos ideais e dos sonhos da juventude? Quem eram eles aos vinte anos? O que pensavam? O que esperavam do futuro? Eles são os protagonistas de uma história não oficial. Hoje, aqueles “guerrilheiros urbanos” são professores, políticos, executivos, donas de casa que, muito jovens, foram presos, torturados, exilados. Muitos anos se passaram e agora temos o relato de quem conheceu a dor e a violência, sobreviveu, construiu sua própria história e continua acreditando que é possível melhorar o mundo.

#querover

 

Bookmark and Share

Mini roteiro: Campo Grande

800px-Por_do_sol

Fico feliz de andar pelo Brasil e ver tantas cidades bonitas, cheias de espaço, de verde, de lugares legais e muito boas para morar. Eu amei voltar a Campo Grande, Mato Grosso do Sul, depois de…25 anos. Nem precisa dizer que muita coisa mudou. Nem me lembrava de nada direito. Trabalhei um dia inteiro no Sebrae e ao todo tive 2 períodos livre, e deu pra ver alguma coisa que me impressionou bastante.

Mas vamos começar, essa era a vista do meu quarto, nada a reclamar:

campo grande deville

Para visitar:

Mesmo com pouquíssimo tempo na cidade eu não deixei de ir no Parque das Nações Indígenas, bom para correr e caminhar. Muitos pássaros e horizonte verdinho. Visite, porque é imperdível o Museu das Culturas Dom Bosco, e fica dentro do parque. Visitei bem devagarinho apreciando cada minuto.

museu indigena

Em resumo, nesse museu você encontra um acervo magnífico de arte indígena, cerâmica, acessórios de penas, couro de bichos, artefatos de madeira, palha, objetos arqueológicos que vão encantar você. Aprecio muito e valorizo a cultura indígena. Acho tão sofisticado o design e as peças que resolvem problemas e funcionalidades do dia a dia. As peças são de diversos povos, com uma riqueza de tradições maravilhosa, copiei esse trechinho sobre os respectivos povos que o museu abriga:

Povos do Mato Grosso do Sul  o museu mostra a cultura material dos  Terena; dos Kadiweu; dos Guarani Kaiowa; dos Kinikinaw; dos Guato; e dos Ofaie, por meio de objetos e utensílios históricos expostos em ocas de cobre, signo da pós-modernidade, estética capaz de traduzir a vida contemporânea desses povos.
 
Povo Xavante Quem conhece a cultura xavante sabe que a maioria das danças, dos movimentos rituais constroem espirais e nesse caso pode-se relacionar esta forma com a estrutura física do espaço expográfico. É importante ressaltar que o tema tratado pela exposição foi escolhido por um representante dos Xavante e diretor do Museu Comunitário de Sangradouro, Valeriano Rãiwi’a Wéréhité. De acordo com ele o espaço deveria conter objetos significativos dos ritos de passagem e religioso.
 
Povo Bororo Nascimento e morte fazem fundo para a contextualização metafórica do espaço expográfico bororo dividido, como a aldeia original, em duas metades, Tugarege e Ecerae representadas pelos quatro clãs que as compõem respectivamente. Além do círculo, no recôndito da terra, o espaço de evocação das almas e a simbologia de preparação do mori.
 
Povo Karajá A expografia tomou por base de contextualização o mito de origem do povo representado e cenas de sua vida cotidiana.
 
Povos do Rio Uaupés
Nesta sala aparecem representados por meio de seu mito de origem, iconizado na arquitetura; e pelos objetos utilizados em seu cotidiano, os povos Tukano, Desana, Tariana, Pira-Tapuia, Tuiuka, Paracanã, Taiwano e Wanana. Podemos sugerir que o espaço metaforiza a cultura disposta esteticamente ao longo do Rio Uaupés e que onde o “rio” termina, acaba a vida, aprisionada nas Vestes de Lágrimas dentro do círculo sagrado, para dar origem a um novo começo.

 

Para se hospedar:

Viajar sozinha e a trabalho é dureza, então se o hotel não é bom me dá depressão. Fiquei no Hotel Deville, novinho em folha, superbem localizado! E foi uma delícia! Hotelaria de primeiríssima. Precisei ficar um bom tempo no quarto trabalhando e não tenho do que reclamar. Wi-fi perfeito, serviço de quarto rápido, canja aprovada!!! E a equipe toda foi extremamente simpática <3

canja

Café da manhã era divino, com muitas opções de pães, bolos, frutas, tinha inclusive suco detox, tudo servido num salão bonito com decoração sóbria mas não sem graça. Ficaria lá mais uns 10 dias só pra tomar café da manhã ali e provar todos os bolos, docinhos e ovos mexidos com bacon, com linguicinha….

deville

Antes de ir embora, almocei no restaurante do hotel e comi as costelas de pacu com risoto de açafrão, tava bem gostoso e a porção bem generosa. Pacu é um peixe de gosto marcante e bem cheio de gordurinhas, nem todo mundo gosta. Eu amo. Edu se come, morre. Sobremesa não provei pra não me empanturrar e subir no avião.

 

Para comer fora do hotel:

Um lugarzinho super encantador é o Recanto das Ervas, fui lá com o pessoal do Sebrae. O restaurante tem in loco um quintal aberto com horta, estufa de plantas, temperos e ervas medicinais, flores comestíveis diversas e um menu vegano e saboroso. Comi um tabule e tava incrível bem fresquinho, o trigo tenro e o tempero bem cheiroso.

Na Padaria Tietê, ao lado do hotel, comi uma sopa paraguaia divina! Sim sopa sólida com cebola, leite e ovos, hummmm.

torta paraguaia

Vale mesmo visitar Campo Grande por pelo menos um final de semana, além de simplesmente ficar na cidade rapidinho como ponto de parada antes de Bonito, Corumbá ou Miranda.

Aqui na hashtag #LiliPorAí tem mais fotos :)

 

Bookmark and Share

“The Force Awakens” é exibido ao vivo no Brasil

Celebration-Anaheim-Logo

O Star Wars Celebration acontece em Anaheim, na California, de 16 a 19 de abril e é um evento para celebrar a saga mais importante da cultura pop. No dia 16 de abril, fãs de todo o mundo poderão acompanhar ao vivo o painel “The Force Awakens” que abre o Star Wars Celebration desse ano. Fãs brasileiros de Star Wars poderão acompanhar ao vivo às 14h, no cinema Playarte Bristol em parceria com o site Omelete e com a Rádio Disney. Para garantir um lugar, os fãs terão duas formas de participar, por meio da Rádio Disney ou  pelo Omelete, que irá disponibilizar um link no site com maiores informações para os interessados. Ao todo serão 35 cinemas em 23 países a transmitir o evento, que terá a participação de JJ Abrahms  e Kathleen Kennedy, diretor e produtora do próximo filme da saga, que chega às telas  em dezembro de 2015.

Bookmark and Share

Candidatos buscam realização profissional no ‘Como Será?’

sandra_annenberg-como_sera_606x455-1
Na tv dá pra fazer todo tipo de reality, até pra ajudar a colocar em prática a vontade de se reinventar profissionalmente após os 40 anos. É com esta missão que estreia no sábado 4/4, na Globo o quadro ‘Sonho Meu’ no programa da Sandra Annenberg, o “Como Será?. O público vai conhecer a história de Valdemir Pereira da Silva, que trabalha como vistoriador de carros e vai experimentar o sonho de abrir uma loja de doces. Ao longo do percurso, os participantes do novo quadro – todos escolhidos através de inscrições no site do programa – contam com apoio de um coach, que dá o suporte técnico para a decisão, familiares e dos “colegas de sonho”, pessoas que passaram por experiência semelhante.
E no estúdio, Sandra Annenberg conversa com a criadora do projeto Chefs Especiais, Simone Berti e o público conhece o funcionamento da ONG, que há nove anos oferece aulas de gastronomia para adolescentes e adultos com síndrome de down.
Achei tão legal!
Esse programa é realmente muito bom, me dá Razões para Acreditar. Só tem pauta bacana.
Ainda tem matéria sobre um grupo de pesquisadores que desenvolveu um plástico inovador capaz de conservar os alimentos por mais tempo. O produto já deixou de ser pesquisa e está sendo comercializado nos supermercados. Para quem se interessa por pesquisas arqueológicas, reportagem de Helena Lara Resende mostra que riquezas arqueológicas podem ser encontradas nos centros das grandes cidades brasileiras. Uma visita mostra a Universidade Federal de Lavras e explica por que ela foi eleita a mais sustentável da América Latina. Em Belém, reportagem mostra um agricultor que criou um equipamento facilitador para a colheita de açaí. E ainda: como o buriti, uma fruta do cerrado, ajuda a gerar renda para centenas de moradores do interior do Maranhão. Apresentam Cristiane Nogueira, diretora da ONG Canto Vivo que desde 2001 busca uma forma revolucionária de pensar o meio ambiente. Hoje já plantou mais de 600 mil mudas em Sergipe e distribui, por ano, mais de 300 mil sementes.

***

‘Como Será?’, uma parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação, ecologia, mobilização social, trabalho e inovação. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade como grande aliada. O programa, que ocupa a faixa das 6h às 8h nas manhãs de sábado na Globo, é reprisado na GloboNews e no Canal Futura, aos domingos, às 06h05 e às 15h, respectivamente.

Bookmark and Share

Intensivo no Rio de Janeiro

curso midias sociais

Em abril também estarei no Rio. Preparei um curso mais aprofundado para quem já está na área (marcas/agências/influenciadoras) e deseja reciclar conhecimentos além de aprimorar seu trabalho. Também será um intensivo para poucos alunos por turma de modo que eu possa dar uma orientação mais focada para cada um, quase uma consultoria bem intimista, do jeito que eu gosto.

Vou falar de planejamento eficiente de conteúdo, vou dar orientações para contratos entre marcas e influenciadores, como melhorar o fluxo de atendimento ao cliente/agência, relatórios de resultados, gerenciamento de crise com influenciador/blog/rede sociais, apresentação de casting/ blogs para clientes, + debate sobre cases.

09 vagas.

Dia 27/4, segunda das 9h-18h

Rua Barão do Flamengo 22, sala 402, Rio De Janeiro

http://coworkingbrasil.org/spaces/cluster-rio/

 R$495 (em 2 vezes – no ato da reserva e após curso)

Inscrições com Diane De Camillis: educ.canaisdigitais@gmail.com

Bookmark and Share

Hora do Planeta

horadoplaneta

Não esqueça de apagar as luzes e vamos juntos por um mundo melhor.

A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o meio ambiente, apagando as suas luzes durante 60 minutos. #UseSeuPoder

Bookmark and Share

Crossfit da Marina Abramovic

marina abramovic

Dos sotaques que eu mais gosto na vida, certamente o de quem é do leste europeu falando inglês é meu favorito. Uma coisa meio cientista maluco de filme antigo de ficção, de espiã sexy da guerra fria, da garçonete de deli nova-iorquina que eu amava com r’s bem puxados, uma fala mais rígida, mais imperativa. E não sei bem o porquê, mas eu amo. E é bem assim que começa o workshop do Método Abramovic, com esse sotaque a artista Marina Abramovic que orienta em inglês os cerca de 70 participantes.

De graça, com 2h30 de duração no Sesc Pompeia, essa atividade é parte da programação da exposição retrospectiva da obra da artista: “Terra Comunal”. Eu nem sei bem como conseguimos as superconcorridas vagas para participar numa manhã de março do workshop. Fui junto com o Edu. Acho que foi um presente de aniversário pra nós dois.

Num vídeo gravado, Marina está vestida toda de branco, fala como se estivesse ali conosco. Ela dá as instruções dos exercícios de preparo para encarar as suas 4 estações. E as práticas são técnicas simples de respiração e alongamento, estica, bate palma, inspira, expira, se solta, e que sua “discípula” Lynsey Peisinger exemplifica um por um.

Ela avisa que passaremos divididos em grupos por 3 posições em 4 estações de 30 minutos cada: deitada, de pé, sentada e que tudo deve ser feito em silêncio e muito lentamente. Faz um breve comentário sobre o mundo de hoje cheio de estímulos que não nos fazem focar no que é importante, que nos turva a visão, o olfato, o tato, a audição e que o método pretende nos oferecer algo que não temos mais por aí, a possibilidade de usufruir do momento presente.

Na sequência colocamos fones de ouvido daqueles maravilhosos que anulam o mundo exterior e você não ouve mais nada, passa a seguir um facilitador que nos conduz pelos “objetos”. Não vou detalhar o crossfit da Marina, esse post aqui já fez isso muito bem.  Vale dizer que o corpo precisa estar em forma também se quer encarar.  Em uma das estações, em que a gente fica de pé, me senti testando a capacidade de superar a dor no nervo ciático como se estivesse numa prova de resistência do BBB valendo um milhão e meio de reais. Concentrei na beleza do cristal, nas gamas de luz, na lapidação, nas imperfeições, nas lascas da pedra como se fosse um caleidoscópio. Deu tudo certo.

destaque-método
Vou compartilhar a minha experiência mental, os pensamentos que tive. Não quis ficar de olho fechado em nenhum momento, não queria dormir, nem relaxar, nem pensar na vida, queria estar o mais consciente possível de onde estava e completamente na situação.

O melhor foi testar o poder da concentração, o poder que é perceber que quanto mais olhamos algo mais vemos podemos ver novas coisas. E vemos o que está ali, vemos o que está na nossa mente e vemos o que as duas coisas resultam quando combinadas: o que eu acho que está lá.

Estar presente para mim é ter a consciência 100% voltada a você mesmo, aos seus sentidos e ao que tem pela frente, seja alguém te encarando ou uma parede branca e óbvia mas repleta de pormenores, de texturas, profundidade, sombras, reflexos…. Eliminar o excesso do mundo, o supérfluo potencializa os resultados da nossa compreensão de tudo.

Entender que é preciso cessar os estímulos desnecessários na vida, como por exemplo: eu, e nem ninguém, precisa de mil notificações no celular, não precisamos saber o que nossos amigos curtiram, não precisamos ler tudo o que comentam, nem saber se mudaram suas fotos de perfil, se foram jantar fora, se estão num show ou de férias. Isso não muda nada.

Eu não preciso atender o celular porque alguém quer falar comigo mas eu estou escrevendo um texto, um email, fazendo uma lista de mercado, cozinhando, lendo, dando banho no gato. Antes de tudo a pergunta que precisamos fazer é: eu quero atender? eu posso? eu preciso? eu deveria interromper o que estou a fazer? Deveria interromper esse momento com essas pessoas que estão comigo? Esse é o momento certo para mim? Aposto que você vai rir, dizer que é impossível fazer isso, que tudo bem ser interrompido, mas sua vida será mais feliz se você não se sentir obrigado a atender todo mundo que te liga, que te manda mensagem, sms, whatsapp, inbox, dm… Preze seu tempo.

Numa analogia tosca mas clara: por que ver um filme no cinema é infinitamente melhor do que ver em casa, na tv? Porque o ambiente do cinema te propicia mergulhar os sentidos todos na obra. O filme foi feito para ser visto no escuro, na tela grande com som dolby stereo. Assim deveria ser com tudo aquilo que fazemos. Se voltar totalmente ao momento, seja ao comer um doce e sentir o sabor, a textura, observar os detalhes da forma, ao olhar quem te dá um sorriso, seus olhos, sua intenção, ao sentar num café com uma amiga, e olhar pra ela, e escutar, você será capaz de ir além e nada vai passar batido.

Quem me conhece sabe que, apesar de ser extremamente agitada e aparentemente parecer que faço muitas tarefas simultâneas, tem coisas que não me permito nunca fazer ao mesmo tempo, como dirigir e falar ao celular no viva-voz e correr ou andar na rua escutando música no fone.

Acho válida a experiência de escutar o barulho das pisadas na pista de corrida, de escutar o zummmm quando alguém te ultrapassa, ouvir uma conversa no metrô, sentir as barras pra segurar geladas. Não consigo conversar muito quando dirijo, já tive provas de que é naquela microfraçãodesegundo que um dos seus sentidos se distrai a merda pode acontecer. E dirigir é muito sério e falar com as pessoas também é. Ninguém merece que a gente fique naquele “ahã tô te ouvindo” mas na verdade tá não! nem poderia.  “Ah, pelo amor de deus Lili, hoje a gente pode até sincronizar o celular com o carro.” OK pode, mas eu acho que eu não posso. Eu não faço.

marina abramovic

Fiquei numa cama dessas igualzinha.

Depois de experimentar tudo isso, o sentimento de “estar totalmente presente” naquelas situações, acredito fortemente que para a “arte” da performance ser compreendida, esse workshop revoluciona a apreciação. Estar por alguns momentos no papel, na situação do performer, é física e mentalmente, a única forma de chegar mais próximo ao sentimento e intenção do artista. Acaba aquele discurso rasinho de visitante cricri de exposição: “até eu faço isso, ah é só ficar sentada ali, que fácil.” Então senta lá e sente como a parada é transformadora.

Senti que saí do Sesc certa de que o foco pode nos fazer muito bem, e pode fazer bem aos outros, posso ver além, ser muito mais sensorial e com mais aptidão para descartar ainda mais os ruídos da vida. Também entendo o quão profunda é uma performance em que a artista está lá disponível 100% para você, te olhando no olho. Precioso.

Somos convidados a deixar um relato da experiência em folhas de sulfite, que pode ser uma mensagem, o que for. Edu desenhou. Eu deixei um agradecimento por escrito a lápis:  “Obrigada por me proporcionarem ouvir tanto, ver tanto, sentir tantas coisas, estar presente e disponível para mim mesma. Saio revigorada. E ainda que ficasse mais tempo em cada um dos objetos não teria visto nem sentido tudo.”

Bookmark and Share